Seguidores

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Quando o outro decide dizer basta...


Imagine uma relação na qual um é totalmente apaixonado. Vive pra fazer o outro feliz. Faz e acontece; pensa e sonha; vive e respira o outro, a possibilidade, a relação.
O dia fica melhor ou pior cada vez que o encontro acontece. Cada vez que o outro lhe sorri ou lhe é indiferente... Enfim, o dia pode estar iluminado ou não - só em função de um olhar, uma delicadeza, um acontecer...
Pense então, agora, num outro que recebe tudo isso - e não valoriza. Encara tudo como chato. Demais, exagerado. E não estou falando aqui de controle - simplesmente daquele amor que se DOA incondicionalmente! Enfim, o outro não sabe receber, não quer, não aprendeu, não se interessa por nada que não seja seu ESPELHO...
Essa é de fato a questão - remar contra tudo o que pode ser melhor para aceitar a MIGALHA , a não aceitação, a rejeição, a indiferença, a insegurança, a covardia. É mais que isso: é colocar-se a prova e, ter de enfrentar diariamente os amigos, os familiares, aqueles que nos amam, INDIGNADOS, com tanta falta de amor de um lado e resignação de outro.
E embora alguns escolham viver dessa maneira, um dia "a casa cai ". E, então, tudo muda... Muda de forma rápida e definitiva e coloca de cabeça pra baixo a relação que parecia ter suas regras simples e claras:
UM QUE MENDIGAVA E OUTRO QUE SE ESQUIVAVA.
E é nesse exato momento que o jogo começa pra valer.
Essa história terá então dois possíveis desfechos. Tudo com base na maturidade, no que se aprendeu ao longo do caminho, no que se conseguiu aprender em termos de desapego, autoconfiança, autoestima e assim por diante.
O AMOROSO decide manter sua decisão e sai de cena, deixando o espaço aberto para o OUTRO continuar o seu caminho com tudo o que tem de bom e de ruim - e, esse provalvemente encontrará para seu deleite, outro qualquer desavisado para continuar a ESPEZINHAR... Ou o AMOROSO cai novamente na armadilha e, quando está lá certo de que tomou a decisão correta, inicia-se mais uma novela com torturas, aprisionamento, dor, pouco caso...
A escolha é mesmo de cada um.
E, para escolher o melhor, o BASTA precisa mesmo ser levado em consideração.


Martha Medeiros

7 comentários:

  1. Realmente o melhor é amar de forma equalitária, nem mais e nem menos...

    Fique com Deus, menina Patty M.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Quando o amor não corresponder
    Minha borboleta não deixarei morrer
    No coração a irei esconder
    Pra longe de quem não me amas irei correr

    Com um novo olhar vou procurar
    O verdadeiro amor por certo ei de encontrar
    Basta eu não me fechar
    Pois quando ela chegar a porta aberta vai encontrar

    Aí devagarinho vou sentir
    Com uma nova vida vou surgir
    Olhando pro céu vou sorrir
    E juntinho dela vou seguir

    Nunca mais a dor
    Sei que farei o que preciso for
    Pra que em meu estômago sempre haja frescor
    E se fores embora resgatarei novamente meu amor

    ResponderExcluir
  3. "Fácil é ver o que queremos enxergar...
    Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto."

    Acho muito complicado,pq são as escolhas que temos que fazer na nossa vida....ou É...ou não É.

    BJOS!

    Zil

    ResponderExcluir
  4. Quando a relação chega a esse ponto é hora de acabar e preservar a dignidade, nada compessa a humilhação de aceitar migalhas...
    O amor é lindo e não merece ser humilhado.
    Bom começo de semana pra vc
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Já conhecia o texto, e de fato é uma reflexão muito sábia. Há que se saber por em prática, faz bem.

    Obrigado por compartilhar, Patrícia. Au revoir.

    ResponderExcluir
  6. "Você é um desejo
    Que de vez em quando vem me visitar
    Insiste em se mostrar
    Em cores definidas
    Uma vontade
    Jamais esquecida".

    Beijos menina linda.

    ResponderExcluir
  7. Ficarei sem NET por um tempo, viu?
    Sentirei saudades.
    Beijos.

    ResponderExcluir

Agradeço o carinho de sua visita!
Fique a vontade para deixar o seu comentário, dica ou sugestão.
Assim que possível, o seu comentário será respondido aqui.
Volte sempre!
Beijos com afeto.

Sou todas as renúncias que a vida me impôs...e todos os sacrifícios que o amor me implorou...

Sou todas as renúncias que a vida me impôs...e todos os sacrifícios que o amor me implorou...

Pequenos momentos mudam grandes rotas.

Pequenos momentos mudam grandes rotas.